Culturismo Clássico

     classico

          O Fisiculturismo Clássico é uma categoria responsável pelo aumento  de  homens   competidores,  que  desejam  desenvolver  menos  massa  muscular  e  um  físico  mais atlético, que não desejam desenvolver seus músculos ao extremo, optando por um físico mais “Clássico”. o propósito  de  criar chances iguais para eles,  foi criada uma tabela de adequação  onde o peso corporal dos concorrentes é limitado de acordo com sua altura, seguindo uma fórmula especial  criada pela  IFBB.

          Com o volume muscular limitado, é dada especial atenção à qualidade, e principalmente a visão geral do físico, as proporções do corpo e linhas, a forma muscular, e especialmente a condição que o atleta se apresenta no dia da competição (densidade, nível de gordura corporal, definição e detalhes).

           Estas qualidade são analisadas durante as rodadas de avaliação do Físico,  quando os todos os atletas concorrentes executam as  poses obrigatórias, da mesma forma que na categoria Fisiculturismo Sênior. Os Atletas devem executar as poses e rotinas com os pés descalços, e de sunga.  Enquadramento na relação altura e peso, massa muscular com volume compatível com altura, definição e profundidade. Densidade, proporção entre tronco e membros inferiores e simetria entre os segmentos (lado direito e esquerdo). Essa categoria o atleta deve apresentar um físico “alongado”. As estruturas corporais básicas (tronco e coxas) são menores se comparadas ao Bodybuilding.

Divisão das categorias:

1-      Júnior: categoria única, até 23 anos;

2-      Sênior: 05 categorias;

3-      Máster: de 40 a 49 anos, e acima de 50 anos;

 

Divisão da Categoria: Juvenil    Até 23 anos         Categoria aberta única

juvenil

 

 

Divisão da Categoria: Sênior

RELAÇÃO PESO ALTURA:
• Até e incluindo 168 cm:

• Até e incluindo 171 cm:

• Até e incluindo 175 cm:

• Até e incluindo 180 cm:

• Acima de 180 cm:

• Acima de 190 cm e até e incluindo 198 cm:

• Acima de 198 cm:

 

senior

 

 

Divisão da Categoria: Máster
Culturismo Clássico Máster i De 40 a 49 anos Categoria aberta única
Culturismo Clássico Máster Acima de 50 anos Categoria aberta única

 

RELAÇÃO PESO ALTURA:

Até e incluindo 168 cm:

Até e incluindo 171 cm:

Até e incluindo 175 cm:

Até e incluindo 180 cm:

Acima de 180 cm até e incluindo 190 cm:

Acima de 190 cm e até e incluindo 198 cm:

Acima de 198 cm:

master

 

Nota 01: As categorias acima de 190 cm competirão com os atletas de 180 cm!

 Nota 02: Se os atletas não apresentarem o peso CORRETO estarão desclassificados!

 

Parâmetros a serem avaliados:

- Hipertrofia Muscular;

- Definição Muscular;

- Proporção Muscular;

- Simetria;

- Físico mais atlético comparado ao Bodybuilding;

 

 Critérios Culturismo ClássicoEnquadramento na relação altura e peso, massa muscular com volume compatível com altura, definição e profundidade. Densidade, proporção entre tronco e membros inferiores e simetria entre os segmentos (lado direito e esquerdo). Essa categoria o atleta deve apresentar um físico “alongado”. As estruturas corporais básicas (tronco e coxas) são menores comparados ao Bodybuilding.

Ordem da Competição:

PRÉVIAS: • Round Eliminatório  (acima de 15 atletas);

• Round 01 (top 15);

 FINAL:     • Round 02 – poses obrigatórias (top 6);

• Round 03 – rotina de poses (top 6);

Prévia – Round 01 :  Comparação: Escolha dos atletas para comparações, baseado nas escolhas do painel de árbitros :

• Quarto de Voltas;

• 07 poses compulsórias;

• Em grupos 03 a 10 atletas;

• Classificar os 15 atletas, do 1º ao 15º lugar na súmula;

 

   Quarto de Voltas

         CLASSICO VOLTA

• De frente ou frontal;
• ¼ de giro para a direita – perfil esquerdo;
• De costas;
• ¼ de giro para a direita – perfil direito;

 

          Poses Compulsórias

POSES

(07 poses)

1. Duplo bíceps de frente;
2. Expansão de dorsal de frente;
3. Peitoral melhor lado;
4. Duplo bíceps de costas;
5. Expansão de dorsal de costas;
6. Tríceps melhor lado;
7. Abdominal e coxa;

Vestimenta: 

sungas

 

- A vestimenta a sunga, e deve seguir os seguintes critérios:

 1. Estilo liso.

2. Cor livre, porém única.

3. Fabricada em tecido (não plastificada, emborrachada, ou materiais similares)

4. Materiais sem brilho ou com brilho.

5. Sem ornamentações, acessórios, rendas e ou bordados.

6. Com pelo menos 1 cm de altura nas laterais e cobrindo no mínimo metade dos glúteos máximos e toda a área frontal.

7. Sem calçados.

8. Sem jóias ou outros acessórios, exceto alianças de casamento.

 - O árbitro deverá  avaliar utilizando-se dos seguintes critérios:

 1. O árbitro deverá avaliar primeiramente a aparência atlética masculina geral do físico. Esta avaliação deverá começar pela cabeça e estender-se para baixo, levando-se em consideração todo o físico. A avaliação, começa com a impressão geral do físico, e deve levar em consideração o cabelo e as características faciais; o desenvolvimento atlético geral da musculatura; a apresentação de um físico equilibrado e simetricamente desenvolvido; a condição e o tônus da pele; e a habilidade atlética de apresentar-se no palco com confiança.

 2. Durante as comparações das Poses Compulsórias, o árbitro deve olhar primeiro para o grupo muscular primário que esta sendo apresentado. O árbitro deverá então inspecionar o físico todo, começando pela cabeça, e observar cada parte do físico numa seqüência descendente, começando com as impressões gerais, e procurar por volume muscular, desenvolvimento equilibrado, densidade muscular e definição. A observação descendente deve ocorrer na cabeça, pescoço, ombros, peito, todos os músculos dos braços, parte frontal do tronco para peitorais, união entre peitorais e deltoides, abdominais, cintura, coxas, pernas, panturrilhas e pés. O mesmo procedimento é realizado para as costas observando-se o trapézio superior e inferior, os redondos e infraespinhais, eretores da espinha, o grupo dos glúteos, a parte posterior das coxas, panturrilhas e pés. Uma avaliação detalhada de vários grupos musculares deve ser feito durante as comparações, na qual ao mesmo tempo o árbitro deve avaliar forma, densidade, e definição enquanto ainda mantém em mente o desenvolvimento geral equilibrado dos competidores. As comparações das poses compulsórias não podem ser supervalorizadas já que estas comparações ajudarão o árbitro a decidir qual competidor tem o melhor físico do ponto de vista de desenvolvimento atlético equilibrado, densidade muscular e definição.

3. O físico deve ser avaliado como um tônus muscular geral, realizados através de esforços atléticos. Os grupos musculares deverão possuir uma aparência redonda e firme com uma pequena quantidade de gordura corporal.

 4. A avaliação também deve levar em consideração a rigidez e o tom da pele. O tom da pele deve ser suave e de aparência saudável.

5. A avaliação do físico dos atletas pelos árbitros deve incluir uma completa apresentação do atleta, do momento que ele entra até o momento em que ele sai do palco. A todo o momento o competidor deve ser visto com ênfase em uma “condição física muscular, saudável, em um pacote completo apresentado de forma atrativa”.

VIDEOS :

 

Comments are closed.